segunda-feira, 15 de outubro de 2018

A importância dos amigos que só quem mora sozinho sabe

|| || Nenhum comentário

Quando você muda para uma cidade nova, toda a sua vida muda. Nova rotina, novos amigos, novos desafios, nova realidade. Você se redescobre e tem que lutar para encontrar e conquistar o seu lugar na cidade nova.

São muitas mudanças de uma vez, que nem sempre são fáceis, então às vezes a única coisa que queremos é ir para um lugar que sabemos que tudo continua sendo como era antes, onde você se sente em casa e sente que nada mudou.

No meu caso, esse lugar são os meus amigos. Eles podem não saber o tanto que significam para mim (apesar de eu tentar sempre dizer), mas no meio de tantas incertezas e inconstâncias, é bom ter por perto pessoas que te dão certeza que, independente de qualquer coisa, estarão lá por (mim) você).

Só quem mora sozinho sabe a importância que os amigos tem.


| 5 de agosto de 2018 |

sexta-feira, 12 de outubro de 2018

Os homens gregos

|| || Nenhum comentário
Reprodução/Pinterest
Os homens gregos... Ah, os homens gregos! Os homens gregos me surpreenderam tanto que mereciam um post só para eles!

Os homens gregos são simplesmente os homens mais bonitos que eu já vi na vida!

Quando eu fui para a Grécia, fui sem expectativa nenhuma quanto aos homens gregos, eu achava que eles teriam cara de árabe, narigão e sobrancelhas grossas, mas me surpreendi MUITO quando me deparei com a realidade do que são os homens gregos.

Os homens gregos são altos, fortes, bonitos, posudos e cheios de marra, nada a ver com os árabes, fisicamente falando. Lógico, há homens que não se encaixam nesse padrão, mas falando de forma geral, esse foi o padrão de homens gregos que eu vi.

Outra coisa que me surpreendeu muito, foi a quantidade de gregos loiros que eu vi. Eu sabia que existiam gregos loiros, mas não pensava que era na quantidade que vi. Eu vi uma quantidade absurda de gregos loiros, e antes que alguém venha falar que eram turistas, não eram. Os gregos tem uma feição muito particular, é muito fácil identificar grego de turista estrangeiro (assim como é muito fácil saber quem é indiano e mexicano, por exemplo. O rosto não nega).

Porém, os homens gregos não me surpreenderam somente pela beleza física, eles me surpreenderam pelo jeito deles também. Eles são iguais aos homens brasileiros, encaram mesmo, dão cantada mesmo, chegam mesmo, e eu não tinha ideia de que seria assim.

Os gregos chegam de maneira muito tranquila, de maneira simpática, ganhando espaço, até dar o bote. Por um lado eu gostei, porque eles são homens de atitude, coisa que falta em muitos homens por aí; porém, por outro lado, eu não gostei. Em alguns momentos me incomodou um pouco esse jeito deles, porque ninguém gosta de ser cantada toda hora. Às vezes, tudo o que nós, mulheres, queremos é passar despercebidas, é ficar quietas no nosso canto, em paz, tranquilas, mas nem sempre isso é possível.

Como na Grécia todo mundo fala inglês, a língua não é uma barreira para eles.

Minha nota final para os homens gregos é 10/10.

Depois de conhecer os homens gregos, o meu top 3 homens mais bonitos do mundo mudou, ficando assim:
1º) GREGOS
2º) ALEMÃES
3º) ITALIANOS

Antes era:
1º) ITALIANOS
2º) ALEMÃES
3º) BRASILEIROS

É isso. Os homens gregos foram uma surpresa boa.

terça-feira, 9 de outubro de 2018

MORANDO NO SUL: Prós e contras de morar em uma cidade fria #9

|| || Nenhum comentário
Frio vs. Calor é uma briga que acontece há tempos e vai se prolongar até o fim dos tempos, mas uma coisa é fato: só fala que gosta de frio quem não mora em cidade fria.

Eu já fui #TeamFrio, mas há alguns anos passei a ser #TeamCalor e como já morei em cidade quente, cidade meio termo e cidade MUITO fria, acho que posso falar com propriedade desse assunto.

Começarei falando das coisas boas, porque, como tudo na vida, no início é tudo muito bom, tudo muito bonito, os problemas surgem depois.


| PRÓS de morar em uma cidade fria

- não suamos.

- como não suamos, ficamos mais tempo cheirosinhos e limpinhos.

- não precisamos ligar ar condicionado ou ventilador para dormir, economizando energia dessa forma.

- podemos usar bota e moletom sem morreremos fritos de calor.

- andar a pé é mais agradável, já que não tem aquele sol de 40ºC na nossa cabeça.

- tomar cappuccino, chocolate quente e café toda hora é uma "questão de sobrevivência". Quem gosta dessas bebidas, gosta do frio por ter uma desculpa para tomar toda hora.



| CONTRAS de morar em uma cidade fria

- é horrível acordar cedo. Eu, particularmente tenho problema para acordar cedo, acordar cedo no frio então, é mil vezes pior. Tudo o que eu quero é ficar deitadinha debaixo do meu edredom.

- é horrível para tomar banho. Ficar pelada no frio é um sofrimento.

- é horrível fazer xixi, porque nós mulheres temos que sentar para fazer as nossas necessidades, e quando está frio, sentar na bacia sanitária é o mesmo que sentar no gelo.

- bate um desânimo de sair por causa do frio.

- não aproveitamos a vida ao ar livre por causa do frio - e se estiver ventando, aproveitamos menos ainda, porque aí que ninguém vai querer ficar ao ar livre.

- ter que vestir muitas camadas de roupa para se manter aquecido. Além de ser um saco ter que ficar tirando para ir tomar banho, todo mundo parece mais gordo por causa das várias camadas de roupa.

- a pele fica um nojo (no sentido ruim mesmo).

- dá vontade de chorar toda vez que lavamos a mão com a água da pia, porque está um gelo.

- o dia escure mais cedo, já que não tem sol.

- as pessoas tendem a ficar mais triste por causa do dia cinzento.

- os moradores de rua e os cachorros abandonados sofrem por não ter como se esquentar.

- ter que usar sempre calça e blusa de manga, nada de saias, shorts ou blusas regata. Para mim, particularmente, isso é um sofrimento, porque eu não gosto de usar calça e amo usar saia.



     Como vocês puderam ver, eu tenho muito mais motivos para NÃO gostar do frio que gostar, porém é uma coisa muito pessoal. Esses são os MEUS motivos. 
     Apesar de preferir calor ao frio, eu não acho ruim morar em uma cidade fria, até porque onde eu moro (Porto Alegre) tem os dois, o frio e o calor.

É isso. Como falei, essa é a minha opinião, esses são os MEUS motivos para gostar e não gostar do frio. Qual os motivos de vocês? Deixem nos comentários!

Para ver os outros posts da série "Morando no Sul" é só clicar aqui ou copiar esse link -> https://susansmof.blogspot.com/search/label/morando%20no%20sul <-

sábado, 6 de outubro de 2018

Santorini ou Mykonos, qual eu gostei mais?

|| || Nenhum comentário
Santorini está à esquerda e Mykonos à direita.
Mykonos e Santorini são duas ilhas gregas, localizadas no Mar Egeu. 


Com pegadas completamente diferentes, Mykonos e Santorini são as ilhas gregas mais conhecidas. As duas ilhas ficam a 150km de distância uma da outra. De barco, a viagem dura cerca de 6h.

Falando das ilhas agora, Mykonos é uma ilha mais cara e com mais luxo, por assim dizer, que Santorini. Em Mykonos encontramos lojas de grife como Luis Vuitton, coisa que não encontramos em Santorini.

Tanto Mykonos quanto Santorini tem muitos barzinhos e jovens, porém achei que Mykonos tinha mais opções do que fazer. Por exemplo, se você quiser tomar banho na praia, em Mykonos mesmo você consegue fazer isso, porque há diversas praias acessíveis ao redor, não é o caso de Santorini.

Centro de Mykonos
Santorini fica na parte alta das pedras, então a praia fica "lá embaixo", em um local não acessível. Para tomar banho na praia de Santorini, a melhor forma é alugar um iate e ir para as praias onde banhistas são permitidos.

Porto de Santorini. A cidade fica lá no alto, não é possível tomar banho de mar na cidade.
As minhas impressões de Mykonos foram:
     ∙ Eu não achei nada de mais, fora que a cidade não é tão bonita como aparenta ser nas fotos do Instagram.
     ∙ No centro da cidade, automóveis não podem trafegar, tudo é feito a pé. No resto da ilha, onde têm ruas, as ruas são bem estreitinhas, só passa 1 carro por vez (ou vai ou volta).
     ∙ A cidade é bem pequenininha, em 30 minutos andamos de uma ponta à outra da ilha.
     ∙ Só é possível chegar a ilha de barco ou de avião.
     ∙ É a ilha mais cara da Grécia, mas, ainda assim, as coisas são bem baratas (alimentação varia entre 18 e 30 euros).
     ∙ A ilha é repleta de lojinhas de souvenirs, mas também possui lojas de grifes como Micael Kors, Louis Vuitton, Victoria's Secrets, Kipling.
     ∙ Não tem táxi na cidade, então todas as formas de locomoção são: alugar um carro/moto/quadriciclo, ir a pé, usar os ônibus da ilha ou usar os meios de transportes oferecidos pelo seu hotel.
     ∙ Não tem muito o que fazer na ilha além de andar pelas ruazinhas e ir às praias.
     ∙ Ao contrário do que imaginei, aqui tem mais jovens que velhos. Por causa da experiência que tive da outra vez aqui na Europa, imaginei que só teria velhos, mas pelo contrário, só tem novinhos.
     ∙ Preciso comentar o tanto que os homens gregos são bonitos, de uma forma geral. Eles não são narigudos, com cara de árabe, como eu imaginava, pelo contrário, eles merecem a fama de Deus grego que eles têm.
     ∙ Venta MUITO na cidade e o vento é frio.
      Apesar de ser uma cidade litorânea, as pessoas não andam de roupa de banho pela cidade, como acontece nas cidades litorâneas do Brasil.


As minhas impressões de Santorini foram:
      Casas brancas com cúpula só tem em Oia, uma região específica de Santorini, não é em todo lugar que é assim.
      Não tem nada para fazer.
      Não sei onde as pessoas acham lugares bonitos para tirar fotos, porque só tem 1 lugar com casinhas brancas de cúpula azul.
      Não é bonito como nas fotos.
      É pequeno e muito lotado.
      Muito superestimado.
      Não venta como em Mykonos, quase nem venta, na realidade.
      Mykonos é maior, tem mais lojas e é onde ficam as lojas de grife.
      Em todo restaurante que fui, ganhei sobremesa de cortesia.



Então, meu veredito final é que eu gostei mais de Mykonos.

Apesar de ter ficado bastante decepcionada com as duas ilhas, achei que fosse completamente diferente (mas eu não estava muito no clima, então isso influenciou para que eu não gostasse também), hoje eu já lembro com carinho das duas ilhas e com toda certeza eu quero voltar.

quarta-feira, 3 de outubro de 2018

Eu sinto falta de ter alguém que me desafie

|| || Nenhum comentário

Eu sinto falta de ter alguém com voz firme na minha vida.

Eu sinto falta de ter alguém que chegue e fale "nós vamos fazer tal coisa" ao invés de simplesmente falar "estou por sua conta, você que decide".

Eu sinto falta de ter alguém que não faça todas as minhas vontades.

Eu sinto falta de ter alguém que não faça de tudo para me agradar.

Eu sinto falta de ter alguém que chegue em mim e fale "não" quando eu peço alguma coisa.

Eu sinto falta de ter alguém que me desafie.

Eu sinto falta de ter alguém que tenha atitude.

Eu sinto falta de ter alguém que chegue e fale que o meu jeito não é o melhor - o que vai me aborrecer muito, mas vai me mostrar que eu não estou sempre certa.

Eu sinto falta de ter alguém que não concorde com tudo o que eu falo.

Eu sinto falta de ter alguém que não tenha medo de ser diferente dos outros.

Eu sinto falta de ter alguém interessante por perto.

Eu só tenho conhecido caras que fazem todas as minhas vontades, caras que fazem de tudo para me agradar. Eu quero alguém que me desafie, que diga "não" para mim, que me tire do sério por não fazer as minhas vontades. Alguém que tome frente das coisas, alguém que eu possa dividir o peso de tomar decisões, alguém que me obrigue a provar a minha capacidade a todo momento. Não me entenda errado, eu não quero alguém que duvide do meu potencial, eu quero alguém que me obrigue a ser mais do que sou.

Os caras hoje em dia são tudo meio frouxo, tudo meio sem opinião, tudo meio sem atitude. Será que ainda existe um macho alfa por aí?


| 16 de setembro de 2018 |

domingo, 30 de setembro de 2018

#DiárioDaFaculdade: [DESABAFO] Eu estou cansada de ter que tomar frente de tudo #30

|| || Nenhum comentário

Eu sou uma pessoa que não aceita nada menos que o melhor. Eu sempre dou o meu melhor em tudo o que eu me proponho a fazer, porque eu quero ser a melhor, não quero ser só mais uma, por isso eu me dedico 110%; porém, nem todo mundo é assim e isso tem me cansada bastante.

Na faculdade, tenho muitos trabalhos para fazer (toda semana tem trabalho novo) e por ser como sou (dedicada, responsável e líder nata), eu acabo tomando frente de tudo, eu que acabo sempre sendo a chefe do grupo, a pessoa que pensa, esquematiza tudo e acaba dando ordem para os outros, que por algum motivo (talvez insegurança, talvez comodidade), preferem obedecer ordens à tomar frente de algum trabalho.

Acontece que TODOS os trabalho acontece isso, todos os trabalhos eu que tomo frente, eu que tenho que pensar em tudo, a única coisa que os meus parceiros de trabalho fazem é seguir as minhas ordens. Eles não são pró-ativos, eles não têm a iniciativa de dividir as tarefas comigo, de pensar em formas de melhorar os trabalhos, fica tudo nas minhas costas e isso tem me cansado MUITO – fora que eu ainda tenho que ficar fiscalizando o trabalho deles para ver se eles estão fazendo certo. No final, eu SEMPRE tenho que retocar o trabalho deles.

Eu queria ter alguém para dividir as tarefas, alguém que pensasse comigo, que fizesse as coisas comigo, que eu pudesse confiar que vai fazer as coisas bem feitas, não só alguém que obedecesse as minhas ordens.

Não me entenda mal, não acho ruim fazer trabalho com as pessoas que normalmente faço, é só que eu queria poder dividir as obrigações com alguém, queria que eles fossem mais ativos, queria que eles tivessem iniciativa. Eles fazem SIM as coisas, mas só o que eu peço e QUANDO eu peço. Se eu não peço, eles não fazem nada.

É chato, é cansativo, é irritante. Eu só queria encontrar alguém tão dedicado quanto eu para dividir o peso dos trabalhos, não é pedir muito.

Para ver os outros posts da série #DiárioDaFaculdade é só clicar aqui ou copiar esse link -> https://susansmof.blogspot.com/search/label/diário%20da%20faculdade <-

quinta-feira, 27 de setembro de 2018

Eu já tive muitos amores

|| || Nenhum comentário

Eu estava pensando e eu já tive muitos amores, Murilo, Rodrigo, Guilherme, Felipe e Vasilis. Aí eu pensei: será que eu sou uma pessoa carente, que se apaixona muito fácil e vive de amores, ou será que eu tive a sorte de conhecer tantos caras bacanas que poderiam ser facilmente o amor da minha vida?

A única coisa que eu sei é que eu sou muito abençoada por ter tido todos esses caras na minha vida. Eu sou quem eu sou graças a tudo que a vida e eles me ensinaram.


| 14 de agosto de 2018 |