domingo, 17 de dezembro de 2017

#DiárioDeBordo: bate e volta em Gramado (RS)

|| || Nenhum comentário

- Gramado é uma cidade bonita, que, infelizmente, não vi muito porque o tempo não ajudou (no dia que fui estava com muita neblina, a chamada "serração", que impedia de enxergar qualquer coisa. Por medo de só piorar, fui embora [eu fui para passar o dia, se a situação piorasse pode ser que eu não conseguiria voltar para Porto Alegre ou a viagem seria muito perigosa, porque a visibilidade estava muito baixa]).

- a viagem de carro de Porto Alegre até Gramado dura mais ou menos 2h30min, não é tão pertinho assim.

- a estrada é muito boa e tem 2 pedágios.


- próximo de Gramado o visual da beira da estrada passa a ser esse da foto a cima: as Hortênsias. São quilômetros com essa vista, é lindo de ver.

- não me lembro de ter visto muitos caminhões na estrada, era mais carro de passeio mesmo.

- do pouco que vi de Gramado, vi que os restaurantes da cidade são caros e as primeiras lojas são as mais caras, então não hesite em andar pela cidade e comprar lembrancinhas mais no centro.


- assim como Campos do Jordão (SP), o que mais tem para vender em Gramado é chocolate e roupa (roupa em menor quantidade). O chocolate e as roupas em Gramado são mais em conta que em Campos do Jordão, apesar de em Campos ser barato.

- não é possível se deslocar de uma atração a outra a pé, é necessário um transporte para fazer esses deslocamento.

- porém, entramos em um outro ponto: não vi um táxi na cidade. Se você não for de carro ou em um grupo de excursão, e for de ônibus, por exemplo, não sei como você faria para se deslocar para esses locais.


- achei a cidade bonita, mas não achei tudo isso que falam. Pode ser que o fato de eu não ter ficado muito tempo e não ter feitos os passeios tenha me impedido de ver toda essa beleza que falam.

- foi uma ótimo dia, apesar de eu ter ficado pouquíssimo tempo. Espero voltar com mais tempo, para realmente explorar a cidade e poder falar com mais detalhes de lá. Por enquanto, é isso que tenho.

Meu dia em Gramado foi ótimo. Espero voltar logo.

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

#DiárioDeBordo: 1ª vez em Porto Alegre

|| || Nenhum comentário

- Porto Alegre é uma cidade muito diferente de São Paulo. Porto Alegre parece uma cidade deserta, não tem comércio nenhum na rua (vi que só tem em lugares específicos, como certas avenidas, centro da cidade e shoppings), não tem pessoas andando na rua, não tem barulho de construção, de ambulância, de buzinas e de helicóptero, enquanto que São Paulo é uma loucura, têm pessoas e carros para todo lado, muito barulho de uma forma geral, muitas luzes, muito trânsito, muita agitação. Como eu estava em SP antes de viajar para POA, estranhei muito toda essa calmaria, foi uma mudança de realidade bem brusca.


- falando um pouco do trânsito de Porto Alegre, fiquei muito impressionada com a tranquilidade da cidade, nem durante a semana e na hora de pico peguei trânsito. Nas avenidas mais famosas que o fluxo era maior, mas mesmo assim, só parávamos por causa dos semáforos. No final de semana a cidade fica mais deserta ainda, o que me lembrou bastante de Campo Grande (MS), que é uma cidade sem vida noturna, à noite parece que não tem ninguém na cidade.

Reprodução/IguatemiPortoAlegre
- os shoppings são muito pequenos. Eu fiquei muito encabulada com o tamanho dos shoppings, porque até o maior shopping de Porto Alegre, Iguatemi, é pequeno! O shopping tem apenas o térreo e o 1º andar com lojas, o subsolo e 2º andar são exclusivos para restaurantes, e acabou o shopping! Tipo, como assim?? Cuiabá (MT), que não é uma cidade turística, tem shoppings maiores que os de Porto Alegre!

- falando do shopping Iguatemi, além de ter achado pequeno, achei meio estranho o fato de ter duas praças de alimentação, uma no subsolo e outra no 2º andar. Não entendi porque ter duas praças de alimentação - provavelmente eles fizeram isso para não ficar um grande fluxo em um lugar só, mas o ruim disso é que ficam poucas opções de restaurante nas duas praças de alimentação, porque não são os mesmos restaurantes que tem nas duas praças, e suas opções são limitadas ao que tem naquele setor (como são 2 praças, as opções são mais limitadas que as praças de alimentação "convencionais).


- mas em compensação, os preços do MacBook Pro (computador da Apple) aqui em Porto Alegre estava BEM abaixo do preço de Cuiabá (MT) e Recife (PE). Aqui estava R$9.799, em Cuiabá R$15.000 e em Recife R$21.000 (um absurdo! Com esse valor dou entrada em um carro!). Não sei se tem alguma coisa a ver com a crise, mas estava compensando muito comprar aqui.


- falam que sulista é um povo muito frio, mas não foi o que senti. Em todos os lugares que eu ia as pessoas puxavam assunto do nada e quando eu via eles já estavam contando da vida deles. Eles puxam assunto por qualquer motivo. Achei um povo bem simpático.

- táxi é muito barato, quase nem tem diferença de preço pro uber (a diferença, em média, é de 4/5 reais para longas distâncias. Lugares próximos a diferença é mínima, 1/2 reais).

- uma coisa bem legal com relação ao táxi em POA é que se você sair de um lugar x e for para um lugar y, independente do motorista que você pegar, o caminho que ele fizer e se for ida (do lugar x para o y) ou volta (do lugar y para o x), o preço vai ser exatamente o mesmo (até os centavos!). Isso acontece porque, diferente de outros lugares, em Porto Alegre os taxistas não tem o controle do táximetro, então eles não conseguem alterar o valor da viagem (o taxímetro é controlado por um aplicativo que os taxistas não tem acesso, consequentemente, não tem como alterar). Dois taxistas me contaram a mesma história do porquê disso, o aplicativo começou a ser instalado (e hoje é lei), porque os taxistas eram muito desonestos e sempre passavam a perna nos clientes.


- os táxis de POA são vermelhos/laranja. Para todos os carros ficarem exatamente da mesma cor, eles são envelopados em um "papel" de cor vermelha e na parte traseira, em um "papel preto". Acontece que isso deixa o carro com um aspecto de carro velho, mesmo sendo o carro do ano.

Reprodução/G1
- pelo que me diziam, eu me iludi muito com relação aos homens de Porto Alegre, achei que teria muitos loiros gatos por aqui, que todo lado que eu olhasse teria loiros e não sei o quê, mas não foi o que aconteceu. Quase nem vi loiros (no shopping vi uns 2 e olha que fui ao shopping 4 dias seguidos) e os que eu via nem homens bonitos eram. Não vou mentir, vi homens bonitos, mas nada comparado ao que eu pensava que era. Para vocês terem noção, no interior do Mato Grosso tem mais loiros que em POA!

- outra coisa que me decepcionou (me chamou atenção, na verdade) foi o fato dos caras serem muito baixinhos. Dificilmente eu via alguém alto, mas quando via, era aqueles altões (1,90m). O que pude perceber é que os caras são ao extreme, ou são muito baixos (1,60m) ou muito altos (1,90m).

- não tem policiais na rua. Como o Rio Grande do Sul está passando por uma crise financeira feia, eles não conseguem pagar os policiais, que por não receberem o salário, param de trabalhar e nisso a frota de policiais na rua diminui drasticamente, até porque nem dinheiro para pagar combustível dos carros o estado tem. Sem policiais na rua, aumenta o índice de criminalidade. Em Porto Alegre fala-se muito do aumento absurdo de criminalidade na cidade (não teve 1 pessoa de lá que eu conversei que não se queixou da falta de segurança da cidade). Dizem as más línguas que antes não existia esse tipo de coisa na cidade.


- a parte da Azul, no aeroporto de Porto Alegre precisa urgentemente de uma reforma, aquilo lá está um caos. O espaço é muito pequeno, o fluxo de viajantes é grande e não tem muitas cadeira para sentar, o que resulta em uma aglomeração de pessoas em pé. Nessa hora não existe cavalheirismo ou educação, quem conseguir sentar, sentou.

Isso na foto não é fila para embarcar, é aglomeração de pessoas que estavam em pé por não ter cadeira para sentar.


- não é querer falar mal de Porto Alegre, porque pode ser que eu venha morar aqui, mas eu juro que não entendi porque os sulistas são tão metidos e gostam de se comprar com São Paulo, falando que eles são melhores. Não tem nada para fazer nessa cidade, não é uma cidade bonita, o povo não é AQUELA coisa (fisicamente falando). A cidade tem que crescer muuito ainda, não tem como comparar com São Paulo, porque São Paulo é uma cidade completa, o povo é bonito... Enfim. Achei ótimo ter vindo conhecer Porto Alegre, achei uma delícia esses dias aqui, mas senti falta de algumas coisas, como comércio na minha rua, um parque bonito e seguro como o Ibirapuera, uma avenida Paulista para andar e sentir a cidade, e um super shopping como o Iguatemi da Faria Lima. Mas ressalto que as pessoas daqui foram muito legais, simpáticas e receptivas comigo, então ficarei com uma boa impressão de Porto Alegre por causa dessas pessoas.

Foi uma ótima viagem, amei conhecer Porto Alegre (agora posso risca-la da minha listinha de cidades para conhecer).