segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Vamos falar de sentimentos

|| ||

     Sentimentos às vezes conseguem ser mais traiçoeiros que pessoas.
     Depois de conhecer a teoria de "quem te irrita, te domina", não consegui parar de pensar em um cara babaca, e o pior, percebi que pensei nele quando li a tal teoria.
     "Mas por que não consigo tirá-lo da minha cabeça?", ficava me questionando, aborrecida.
     "Eu o odeio!", tentava usar esse argumento como o argumento supremo para meu aborrecimento.
     E nesse tempo, em que eu pensava e tentava entender - extremamente irritada, aborrecida, azeda - o porquê de ele não sair da minha cabeça, entendi de verdade o que a bendita teoria queria dizer. Esse garoto me irritava tanto, incomodava-me de uma forma que ele dominava meus pensamentos. Eu perdia tanto tempo me estressando por causa dele, reclamando dele, que não via que ele me dominava, porque tudo em minha vida girava em torno dele - conversas [eu sempre achava um jeito de reclamar dele], as festas as quais eu ia e o encontrava [ele me lançava aquele olhar feio, o que me obrigava a reclamar sobre sua presença e me remoer por dentro], as caminhadas que eu fazia e via alguma coisa que lembrava-o, as pessoas que me tratavam com ignorância [era impossível ver alguém sendo ignorante e não lembrar dele] ou até mesmo quando amigos, colegas ou conhecidos perguntavam como andava nossa relação [de ódio] -.
     Minha vida tinha passado a girar em torno dele, e eu não queria isso, então decidi que pararia de ficar pensando nele, estava determinada.
     Assim o fiz; e vi que não era difícil, quando me ocupava, nem lembrava que ele existia.
     Fiquei feliz com o resultado, minha qualidade de vida aumentou absurdamente desde o feito.
     Os meses foram passando, e deixei de nutrir o ódio ou qualquer sentimento que tinha por ele, passando a ter só irrelevância.
     Era o que eu, mera mortal, pensava.
     Tudo mudou quando falei para a minha amiga, que gosta dele, que queria ser a madrinha de um filho deles, e ela me respondeu que depois que eles se casassem, teria que se afastar de mim porque se não, ele a trairia comigo, porque ela sabia que ele tinha uma queda por mim.
     Aquilo me deixou nas nuvens - poeticamente -, sério, aquilo significou tanto para mim, que, sem perceber, classifiquei como a melhor notícia que recebi. Ué, mas eu não o odiava?
     "Eu sei que ele tem uma queda por você" significou tanto, mais tanto, que até hoje meu coração sorri quando lembro dela falando isso.
     Depois disso, passei a observar as atitudes dele com relação a mim, e a minha reação, e assustei ao ver que fiquei sorrindo sozinha ao lembrar dele me encarando e tentando disfarçar depois que o "peguei no flagra".
     Minha opinião sobre isso? É incrível as voltas que o mundo dá.
     Meu conselho? Viva sem arrependimentos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário