domingo, 30 de outubro de 2016

Resenha do livro: O último dos Canalhas

|| ||
CONTÉM SPOILER! 
Para evitar ler algum spoiler, fique atento às marcações indicativas de spoiler.


Sinopse: O devasso Vere Mallory, duque de Ainswood, está pronto para sua próxima conquista e já escolheu o alvo: a jornalista Lydia Grenville. Só que desta vez, além de seduzir uma bela mulher, ele deseja também se vingar dela.
Ao se envolver numa discussão numa taverna, Vere foi nocauteado por Lydia e se tornou alvo de chacota de toda a sociedade. Agora ele quer dar o troco manchando a reputação da moça.
Mas Lydia não está interessada em romance, principalmente com um homem pervertido feito Mallory. Em seus artigos, ela ataca nobres insensatos como ele, a quem considera a principal causa dos problemas sociais.
Nesse duelo de vontades, Vere e Lydia se esforçam para provocar a derrota mais humilhante ao mesmo tempo que lutam contra a atração que o adversário lhe desperta. E, nessa divertida batalha de sedução e malícia, resta saber quem será o primeiro a ceder à tentação.


     Como está dito na sinopse, o romance gira em torno de Vere (pronuncia "Vér") e Lydia (pronuncia "Líria"). Vere está "prestes a fazer 34 anos" (como diz no livro) e Lydia têm 28 anos. Vere é um ogro, que só vê mulheres como objetos sexuais e que se fechou para o amor após perder muitas pessoas que amava, uma atrás do outra. Lydia não é nenhuma princesinha, é uma jornalista forte, independente, que não tem medo do perigo - na verdade, diria que ela adora um perigo, porque se envolve em cada situação - e que despreza os homens.

((( ESSE PARÁGRAFO CONTÉM SPOILER. SE NÃO QUISER LER, PULE PARA O PRÓXIMO PARÁGRAFO ))):
     Comprei o livro achando que seria uma história de amor e ódio, onde os principais vivem brigando, juram se odiar, mas no final acabam juntos. A história não é bem essa. Logo de cara os dois já se envolvem, o que me decepcionou um pouco, porque a sinopse prometia uma história de amor com mais resistência (e era o que eu queria). Entretanto, os personagens são tão envolventes, tem uma química incrível, que não tem como ficar decepcionado com a história ou com os dois ficando juntos logo de cara ((( SPOILER ))).


     Uma coisa que me surpreendeu muito no livro (ponto positivo), é que a história trata de problemas sociais na Inglaterra no século XIX. Apesar da história ser um romance, a autora não romantiza tudo, não trás uma Inglaterra perfeita, como a maioria dos livros de época, ela aborda problemas como prostituição infantil, o descaso das autoridades frente aos problemas sociais, a falta de recurso da polícia, que ocasiona em corrupção (aceitam serem pagos para darem mais atenção a determinados casos), a luta de classes (ricos são superiores, pobres não valem nada, etc.). 
     Gostei muito dessa abordagem, porque quase todos os livros de época romantizam o século retratado, não mostram a realidade, dando a impressão que era tudo perfeito e que os problemas (prostituição, violência, corrupção, pobreza) surgiram agora. Vai ver por isso a categoria do livro é "romance histórico".


     O livro aborda, também, ação e aventura. Se você gosta desses gêneros, vai apreciar as cenas mais agitadas.
     O livro é bem escrito, porém achei algumas partes meio confusas, mas no geral, a leitura é super gostosa e fluí muito bem, apesar de ter muitas palavras "difíceis" em seu decorrer. À partir do momento que você pega o livro para ler, não vai quer solta-lo mais. 

((( SPOILER ))):
     O livro estava com uma história ótima até a autora decidir explorar o passado da Lydia e escorregar feio (na minha opinião). A história passa a ser confusa, enrolada e meio sem lógica, você tem que se esforçar muito para tentar entender as ligações, que se não prestarmos atenção, não entenderemos o resto do livro. Convenhamos, que história mais nada a ver a do pai de Lydia. ((( SPOILER )))


     Apesar do livro ser a sequência da "série" "O príncipe dos Canalhas", em momento algum senti necessidade de ler o primeiro livro para entender o segundo, a minha leitura não ficou prejudicada por não ter lido, uma vez que as histórias são independentes. Não sei dizer se o meu entendimento do livro teria sido outro se eu tivesse lido OPDC, mas a minha experiência foi que não influenciou em nada.
     A minha crítica geral do livro é positiva, só achei que a autora escorreu no final, como citei no parágrafo com spoiler. Esse livro foi a minha vida por 2 dias, eu só pensava nele, fazia tudo apressada para poder ler, então quando terminei de ler (na noite seguinte ao dia que comprei o livro) fiquei sem rumo, sem saber o que fazer, porque eu mergulhei de cabeça na história. 
     Super recomendo esse livro, vale muito a pena.

Nenhum comentário:

Postar um comentário