sábado, 15 de abril de 2017

#DiárioDaFaculdade: A sensação de voltar para casa depois de 1 mês longe #8

|| ||

     Quando mora-se sozinho, acostuma-se com a sua nova vida, acostuma-se a ficar sozinho, acostuma-se a fazer as coisas por sua conta, então quando volta-se para a sua "casa original", para a casa onde morava-se com seus pais, é uma sensação muito estranha. É um estranho bom.
     No primeiro momento, você se sente como um peão fora do tabuleiro. Tudo parece estar diferente, você vê coisas que não lembrava que eram daquele jeito, a sensação é de não pertencer mais àquele local, por mais que sua família faça de tudo para você se sentir bem naquele local - que é a sua casa.
     No segundo momento, você acha que está sonhando. Por ter ficado um tempo longe da sua família, da sua casa e por já ter acostumado com a nova vida, quando volta-se para a sua realidade anterior (aquela casa com a sua família), parece que é um sonho, parece que você está vivendo suas lembranças - basicamente, você está lembrando de como as coisas eram antes de se mudar, então vê-se as coisas "tudo de fora", como um observador.
     No terceiro momento, quando a ficha cai e você percebe que aquilo é real, você começa a comparar a sua casa com a casa que mora na outra cidade: "Aqui é melhor por isso, isso e isso. Mas em compensação, lá tem isso, isso e isso". É uma constante briga entre "aqui é melhor" e "não, lá é melhor".
     E por fim, quando você finalmente acostuma com o fato de estar de volta a sua casa, é hora de ir embora.
     Resumidamente, é uma sensação de felicidade plena ao chegar, e a sensação de ter perdido tudo ao ir embora. 
     Disso tudo uma coisa eu entendi: independente de onde eu estiver, a casa dos meus pais sempre será a minha casa. Independente do que acontecer, eu sempre terei o meu espaço nessa casa, onde poderei ficar se algo acontecer ou eu decidir que quero voltar para casa. Meus pais sempre estarão aqui (ou lá) para mim, disso eu não tenho dúvidas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário