terça-feira, 23 de maio de 2017

O meu teorema Katherine

|| ||

"Dezenove foram as vezes que Colin se apaixonou. Das dezenove vezes, a garota chamava-se Katherine. Não Katie, Kat, Kittie, Cathy ou Catherine, mas, sim, Katherine. Desde que tinha idade suficiente para se sentir atraído por uma garota, Colin se apaixonava por Katherines. E todas o deixaram.
- O Teorema Katherine, John Green


Por prezar coisas que quase ninguém mais preza atualmente, por ver como as relações são efêmeras e os homens mau caráter, protejo meu coração mais até do que deveria. Com muita dificuldade para se apaixonar, consigo contar no dedo o número de todos os caras que já gostei.

Avaliando-os, percebi que todos seguem um padrão e isso me fez lembrar do livro "O Teorema Katherine", do John Green, onde o personagem principal só se apaixonava por garotas chamadas "Katherine". Eu percebi que eu tenho um teorema também, não de nomes, mas, sim, características.

O meu teorema Katherine são homens de cabelo preto e barba (barba ❥). Aqueles altos com cara de mal, sabe? Aqueles que quando dão um sorriso você sente suas pernas tremerem e tem plena consciência de como aquele sorriso vai desgraçar a sua vida.

O meu teorema Katherine são homens com cara de homem, aqueles que transpiram testosterona. Moleques não me atraem.

O meu teorema Katherine são homens do signo de Touro e torcedores do Palmeiras. Seria isso alguma brincadeira do Lord? Porque, de verdade, todos os caras que já fizeram parte da minha vida são taurinos e Palmeirenses, parece até que é um critério que tenho dentro de mim: "só vou me interessar por ele se for de touro e torcer para o Palmeiras" (olha que eu torço para o São Paulo).

Eu não li esse livro do John Green, então, quem sabe, se eu ler, encontrarei no final do livro a resposta que procuro. Por que existe esse teorema?

Nenhum comentário:

Postar um comentário