domingo, 21 de maio de 2017

O que fazer em São Paulo: Virada Cultura #2

|| ||
Wanderléa se apresentando. A cantora também faz parte do elenco do musical.
     Hoje fui à Virada Cultural no Anhangabaú (centro), aqui em São Paulo, para assistir ao musical "60! Década de arromba" e saí de lá encantada com o musical. Foi tudo muito bem produzido e muito bem executado, porém o público e a localização me desagradaram, fazendo com que eu visse lados positivos e negativos da Virada Cultural.
     O primeiro lado negativo foi conseguir chegar ao Anhangabaú. Era domingo de manhã, o motorista estava seguindo o gps e nos deparamos com a Cracolândia, onde estava acontecendo uma operação policial. O medo foi grande, usuários de drogas estavam espalhados pelas ruas e andando desenfreados pelas ruas, mas graças a Deus saímos ilesos.
     Falando agora do musical, o espetáculo foi incrível! Os atores eram muito bonitos e simpáticos, e o figurino estava maravilhoso. A produção do musical pegou roupas da moda atual e fez um mix para "encaixar" com o estilo de roupas dos anos 60, deixando super estiloso.
     Os penteados estavam impecáveis. Cada detalhe foi muito bem pensado e isso estava claro, enchendo os olhos de pessoas perfeccionistas.
     O repertório musical estava o máximo. Eu não entendo de música, então não posso opinar muito, mas posso dizer que teve músicas clássicas brasileiras, como "País Tropical", e cantores brasileiros clássicos, como Milton Nascimento, sem falar as músicas e cantores estrangeiros, como Elvis Presley. Muitas músicas e cantores eu não conhecia, mas o público ia ao delírio.


     A coreografia foi boa também. Não era nada muito incrível ou inusitado, mas como era tudo muito sincronizado, prendia a atenção do público e encantava.
     Abordando vários temas presentes nos anos 60, o espetáculo fez críticas sociais e abordou a ditadura militar de forma bem leve - imagens da época da ditadura foram projetadas no telão atrás do palco e os atores fizeram uma encenação, cantando e dançando -. 
     O show foi lindo, porém, assim como falei no início do post, teve alguns pontos negativos. Além da localização, os outros lados negativos foram a chuva e o público. A chuva atrapalhou porque o evento aconteceu em uma praça, ou seja, era um lugar aberto e estava frio. O jeito foi comprar capa de chuva para assistir ao espetáculo, já que guarda chuva não era permitido; e o público... O público foi difícil. 
     Por ser um evento gratuito, o público é diferente. Sem filtros, o público era muito sem educação. Tinha um homem encostado na grade filmando a apresentação e as pessoas, simplesmente, começaram a gritar mandado-o sair da frente e chamando-o de "folgado", atrapalhando a apresentação. Como o cara não saiu, só abaixou, as pessoas começaram a jogar coisas nele (papéis, bolas de papel parecendo pedras, balões para aplaudir), faltou só jogar cadeiras no coitado. Achei um absurdo e uma tremenda falta de educação. O pior era que se esse homem falasse alguma coisa, com certeza daria briga, porque as pessoas não tinham um pingo de educação.
     Esquecendo isso, teve uma coisa muito legal no evento que nunca tinha visto. Havia um homem traduzindo simultaneamente o que os atores falavam e cantavam na língua de libras (a língua dos surdo-mudos). Achei muito legal a inclusão, que deveria ser rotineira em nossas vidas.

Ficou interessado? Confira as informações sobre o musical "60! Década de arromba":
Um musical de Frederico Reder e Marcos Nauer

Endereço: Theatro NET SP 
Rua Olimpíadas, 360 - Vila Olímpia
São Paulo - São Paulo

Horários: 25 de maio a 11 de junho
Quinta e Sexta às 20h30min, Sábado às 17h e 21h e Domingo às 17h

Preços: variam de 180 à 25 reias 
Plateia central: R$180 (inteira) e R$90 (meia entrada, cliente NET e assinante Caras)
Plateia lateral: R$160 (inteira) e R$80 (meia entrada, cliente NET e assinante Caras)
Balcão I: R$120 (inteira) e R$60 (meia entrada, cliente NET e assinante Caras)
Balcão II: R$50 (inteira) e R$25 (meia entrada, cliente NET e assinante Caras)

Nenhum comentário:

Postar um comentário